sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

FÉRIAS!!!!!!!!!!!!!!!!!

Estou em período de merecidas férias.
Volto com meus posts no início de fevereiro de 2012.
FELIZ ANO NOVO A TODOS!!!
Abraços,
Mônica

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Boas Festas a todos!!

Amigos,

Desejo a todos um abençoado Natal e um 2012 cheio da Graça de Deus!!
Que o menino Jesus possa nascer em nossos corações neste Natal e REINAR verdadeiramente em nossas
vidas no ano de 2012!
Desta forma, com certeza, teremos um 2012 maravilhoso!!
Ele é nosso criador e tem o verdadeiro manual para nossa felicidade!

Cheers!!!
Abraços,
Mônica


Fonte: BPM-Forum - yahoogrupos.com.br
Autor: Nill

terça-feira, 29 de novembro de 2011

ITIL V3 um bom fundamento SOA

Existem vários caminhos para implantação de SOA um deles é utilizar como base o ITIL V3.
O ITIL V3 tem seu foco em serviços, no ciclo de vida do serviços, e SOA também tem seu foco em serviços.

Entendo que ITIL não seja pré-requisito para SOA, mas, se a organização já fala e pensa ITIL, posso considerar o caminho, de certa forma, pavimentado para SOA.

Entendo que a visão de Serviços para ITIL é mais abrangente que SOA, mas SOA está inserido no contexto ITIL.

 As imagens abaixo são do ITIL V3 e mostram os serviços sob seu escopo.
Percebo que os serviços SOA também podem ser identificados desta forma e neste contexto.




  
Serviços:
Cquote1.svgO Gerenciamento de Serviços é um conjunto de habilidades da organização para fornecer valor para o cliente em forma de serviçosCquote2.svg  (ITIL V3)
Cquote1.svgUm serviço é um meio de entregar valor aos clientes, facilitando os resultados que os clientes querem alcançar, sem ter que assumir custos e riscosCquote2.svg  (ITIL V3)
Cquote1.svgSOA é uma abordagem arquitetural corporativa que permite a criação de serviços de negócio interoperáveis que podem facilmente ser reutilizados e compartilhados entre aplicações e empresas.Cquote2.svg (Gartner Group)
Os artigos abaixo resumem parte do meu ponto de vista sobre como Implantar ITIL V3 pode ser um fundamento/base para Implementação de SOA.


O que vocês acham?

É claro que este post é só um esboço do que poderia descrito e comentado sobre a relação ITIL V3 e SOA,   mas fica a ideia.

Abraços!!

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Exemplos BPMN

Aos interessados em BPMN, existe um site muito interessante para aprender BPMN e visualizar a instancia de  um processo com os elementos do padrão.

http://www.diveintobpm.org/index.jsp

Os exemplos nos apresenta didaticamente o elemento token.

Fica a dica!!
Mônica

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Mudar ?!?! Pra quê?!?!

Desde 2007 venho estudando e trabalhando com o tema BPM, uma trajetória de muito aprendizado e barreiras para ultrapassar.
Fiz cursos, ministrei treinamentos e, recentemente, consegui a certificação CBPP.
Me considero com muita experiência e conhecimento no tema, fruto de grande esforço pessoal e profissional.
Mesmo assim, diante de certas situações, fico em crise com algumas reações.

Como é difícil as pessoas entenderem que trabalhamos com processos em nosso dia-a-dia!
Como é difícil quebrar paradigmas!
Como é difícil e complicado o processo de convencimento e mudança de cultura. Às vezes chega a ser desgastante.

Por que é tão difícil quebrar paradigmas? Por que é tão difícil mudar?

Será algo inerente do ser humano a resistência a mudanças?

Já li e fiz cursos que me apresentaram inúmeras respostas a estes questionamentos.
Também já me deparei com situações semelhantes e a experiência me apresentou algumas respostas.
Infelizmente tem hora que a paciência parece estar no limite!

Quando isto acontece temos que contar até 10 e pensar que “depois da tempestade vem a bonança”!
Nossos clientes e colegas de trabalho não podem e não devem ser afetados, eles precisam ser influenciados e não contaminados!

Nosso dever de especialistas no assunto é mudar para melhor!

Nossas limitações não podem ser barreiras para o aprendizado e mudança de paradigma.

Uma reação errada com alguém que ainda não comprou ou não entendeu a ideia pode ser a ruína da implantação de um novo paradigma.

Que bom que posso compartilhar com vocês!

Ja melhorei bastante!

 Mônica Pires

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Como vai a gestão por processos na sua empresa?

Prezados leitores,
Vocês poderiam compartilhar conosco como é a Gestão por Processos na sua empresa?
Na sua organização possui:
- Escritório de processos?
- Metodologia de Processos?
- Algum programa de reconhecimento para os profissionais de processos?
- Cadeia de Valor?
- Patrocínio da alta gestão?
- Nenhum dos itens anteriores?  :-)
Compartilhe sua situação, a situação da sua empresa!

Aguardo comentários!!

Mônica Pires, CBPP

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Certificação CBPP

Prezados leitores,

No período de 14 a 16 participei do “ABPMP - Boot Camp” e no dia 17/9 foi a prova de certificação.
O “Boot Camp” foi uma experiência bem interessante, uma imersão no mundo BPM.
Foi muito importante para mim, pois foi uma oportunidade de interagir com vários colegas que trabalham com BPM além de ter contato direto com os fundadores do capítulo da ABPMP – Brasil.
Tivemos explanações de Furlan, Gart, Leandro e Maurício todos muito empolgados e entusiasmados com o tema, com a importância da Gestão por Processos em nosso país.
A pior e melhor parte foi a prova de certificação, pior por causa da tensão e ansiedade e melhor por que consegui aprovação!
J
Recomendo a realização do Boot  Camp e da prova de certificação, pois para mim foi a coroação de um tempo longo de dedicação, trabalho e estudo.
Valeu Galera!!!
Abraços,
Mônica Pires, CBPP

sábado, 17 de setembro de 2011

Certificação ABPMP - CBPP!

Com grande alegria comunico que a partir de hoje sou certificada CBPP - ABPMP!!
IUPE!!!!!!
Depois conto maiores detalhes da certificação!
Abraços,
Mônica

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Metodologia de Gestão por Processos


É incrível como uma Metodologia é importante para a implantação da Gestão de Processos.
Como disse em posts anteriores Governança e Planejamento são aspectos que estão extremamente ligados.
A Metodologia é uma das ferramentas utilizada pela Governança de Processos.

Geralmente, nas empresas, quando falamos em planejar, acompanhar, documentar e gerir,  muitos colaboradores pensam em Burocracia, mais papel... e ficam muitas vezes reativos.

Na realidade quando pensamos em quebrar paradigmas não podemos esquecer o fator humano, que é fundamental para o sucesso ou não de algum projeto.  Acho que todo ser humano tem resistência a mudanças. É muito cômodo ficar no estado em que estamos, mudar dói! E o trabalho de implantar BPM consiste também em quebrar barreiras, conscientização e mudança de cultura.

Vocês podem estar perguntando: O que tem tudo isto com uma Metodologia?

Quando falamos em BPM, uma metodologia determinará um “modus operandis” em processos de uma organização.
Ela precisa conter conceitos, papéis, procedimentos e fluxos de trabalho.
Enfim, a metodologia será utilizada para consolidar conceitos e mudar forma de trabalho.
Será fundamental na quebra de barreiras e mudança da cultura da organização.

Quando se começa a implantação de Gestão de Processos é fundamental defini-la em conformidade a realidade e maturidade da organização.

É com a Metodologia que será definida e estruturada a gestão de processos da empresa.

Uma metodologia visa padronizar, uniformizar procedimentos de trabalho.

Tive privilégio de participar da definição da Metodologia da empresa em que trabalho e foi muito enriquecedor para mim.
Buscamos melhores práticas em BPM. Conhecemos várias empresas e metodologias. Com o conhecimento que agregamos, também com o CBOK e Melhores práticas em Gestão de Projetos(PMBOK), conseguimos definir nossa metodologia conforme a realidade da empresa e visão de futuro: melhorar nossa maturidade em gestão por processos.

Hoje vejo que, quando pensamos em metodologia, não podemos pensar em algo ideal, mas sim em algo simples e operacional.
Algo que possa ser implantado, gerenciado e melhorado. Na realidade, uma Metodologia é um conjunto de processos que, executados conforme planejado, permitirão a gestão dos processos de uma empresa.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Governança de Processos


Venho estudando muito o assunto e com este texto pretendo fazer um resumo do que tenho lido em livros e na Internet. Me ajudou bastante e espero que ajude os leitores.

Quando pensamos em Gestão de Processos pensamos em estratégia, modelagem, fluxos, melhoria, gestão, indicadores, ferramentas...
Estes fatores não podem ser vistos ou tratados de forma isolada, é preciso uma orquestração de todos eles – Governança.

A governança de processos é uma das mais importantes dimensões para o sucesso da Gestão por Processos em uma organização, pois sem uma estrutura de governança é extremamente difícil atingir algo além de pequenas e pontuais melhorias.

A Governança orienta, direciona  a gestão de processos. Como a Governança de TI direciona a Gestão da TI e de seus serviços.

Fazem parte da governança de processos: a elaboração, implantação, controle e revisão de políticas , diretrizes, regras, procedimentos, ferramentas e instrumentos que orientam a gestão de processos.

Faz parte também da Governança a atualização constante das definições de papéis e responsabilidades. É necessário que gestão por processos aconteça de forma ágil, atuando como uma engrenagem que faz a “roda” da gestão por processos “girar”: Aplicando o nosso conhecido PDCA.

É papel da Governança habilitar, orientar e direcionar a gestão de processos envolvendo a organização e esclarecendo o que deve ser feito, quem e como fazer; preencher vácuos, gaps, entre estratégia e execução,  promovendo alinhamento da gestão de processos com o Negócio; e alinhando também as partes interessadas, papéis e responsabilidades necessárias a BPM.

Para clarear um pouco mais, a Governança de Processos consiste na definição, disseminação e controle da Gestão de Processos com relação:
  •  Aos objetivos, princípios, orientações, controles e  limites decisórios;
  •  Às normas de organização e estruturação;
  •  À definição de Papéis e Responsabilidades;
  • À forma de avaliação e controle a fim de aproveitar oportunidades de melhorias e inovação na forma de realizar o trabalhos)
  • Manter a definição de papéis e responsabilidades às necessidades da Organização, que significa promover a distribuição de papéis e responsabilidades relacionadas à gestão por processos


 Pode-se dividir as responsabilidades da Governança em três níveis, que podem ser exercidas e coordenadas por um Escritório de Processos:
  • Condução direta, execução e controle dos processos.
  • Coordenação, facilitação e visão geral da efetividade da gestão por processos.
  •  Assegurar a integridade da gestão por processos em toda a organização. 


Artefatos gerenciados e produzidos pela Governança de Processo:
  • Cadeia de Valor, como direcionador da Gestão de Processos
  • Metodologia de gestão de processos
  •  Regras e papéis que estruturam e organizam o funcionamento da Gestão de Processos


Elementos da Governança:

1.    Estratégia e Objetivos
2.    Papéis da Governança e NA governança
3.    Divisão de Tarefas
4.    Estrutura e critérios para escalonamento – priorização de projetos e processos
5.    Padrões e Instrumentos -  Metodologia e Ferramentas
6.    Mecanismos de controle e avaliação – verificar conformidades, qualidade


Percebemos que a Governança de Processos, assim como a Governança de TI, está inserida no contexto de Governança Corporativa.

Desta forma vale lembrar:

“Governança Corporativa é o sistema pelo qual as sociedades são dirigidas e monitoradas, envolvendo os relacionamentos entre Acionistas/Cotistas, Conselho de Administração, Diretoria, Auditoria Independente e Conselho Fiscal. As boas práticas de governança corporativa têm a finalidade de aumentar o valor da sociedade, facilitar seu acesso ao capital e contribuir para a sua perenidade.” IBGC – Instituto Brasileiro de Governança Corporativa

"Governança de TI é uma parte integral da Governança Corporativa e é formada pela liderança, estruturas organizacionais e processos que garantem que a TI sustenta e melhora a estratégia e objetivos da organização” IT Governance Institute - 2002

Acho que é isto que consegui compilar pessoal! 
Abraços e até a próxima!!



Abraços,
Mônica


segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Boot Camp em Brasília

Boot Camp em Brasília



Ocorrerá em Brasília BPM Boot Camp & CBPP Exam, 6ª edição, 14 a 17/09/2011.


É o programa da Abpmp para certificação profissional em Gerenciamento de Processos de Negócio. É um ótimo diferencial profissional!
Maiores informações no link: Boot Camp em Brasília

Abraços,
Mônica

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Fluxos dos processos


É incrível como a maioria das pessoas pensam que o mapeamento do processo se resume ao fluxo.

No treinamento que ministro sobre Modelagem de Processos, um dos pontos em que gastamos um bom tempo é explicando o que compõe um processo, os atributos de um processo.

Fluxo faz parte do conjunto de atributos de um processo.
Quando iniciamos um trabalho de modelagem, é incrível como todos os envolvidos ficam ansiosos para visualizarem o fluxo!

Parece que enquanto o fluxo não tiver pronto não existe modelagem!
Entendo que o fluxo é uma representação material do processo e facilita muito seu entendimento e execução, mas não podemos parar nele.

Para desenhar um fluxo é preciso todo um árduo trabalho de envolvimento das áreas que compõem o processo, busca de documentos, informações, regras de negócio e procedimentos para entender o processo.

Uma vez entendido o contexto, escopo, interfaces, regras e envolvidos é que se começa a desenhar o tão esperado fluxo.

O fluxo é a representação gráfica de todos estes elementos de forma detalhada em atividades, eventos, gateways e demais artefatos.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Merecidas Férias!

Leitores do blog, venho informar que a partir desta semana até o final do mês de julho estarei em período de férias.
Desta forma, voltarei a postar apenas no mês de agosto.
Conto com a compreensão de todos!
Abraços e obrigada por prestigiarem meu blog,
Mônica

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Planejamento, Projetos e Processos

Este ano, em um seminário que participei,  ouvi por alto que existe uma corrente de pensamento que prega a união do Planejamento, Projetos e Processos em um único ponto: um Escritório de Gestão
Seria interessante ter as três vertentes em um único ponto
O que vocês acham?


Seguem algumas características destes 3 pilares para que possam opinar.

O Planejamento Estratégico é um importante instrumento de gestão para as organizações. Constitui uma das mais importantes funções administrativas e através dele que o gestor e sua equipe estabelecem os parâmetros que vão direcionar a organização da empresa, a condução da liderança, assim como o controle das atividades. O objetivo do planejamento é fornecer aos gestores e suas equipes uma ferramenta que os propicie de informações para a tomada de decisão, ajudando-os a atuar de forma pró-ativa, antecipando-se às mudanças que ocorrem no mercado em que atuam.

Uma empresa sem planejamento está sujeita ao risco de se transformar em uma folha seca, que se move ao capricho dos ventos, afirma Michael Porter, importante autor no campo da estratégia. De fato, o administrador que não exerce a sua função enquanto planejador acaba por se concentrar excessivamente no operacional, atuando principalmente como um bombeiro que vive apagando incêndios, mas que não consegue enxergar onde está a causa desses incêndios.

Toda empresa é uma reunião de atividades que são executadas para projetar, produzir, comercializar, entregar e sustentar seu produto. Com está visão é possível, por meio de técnicas específicas, encontrar elementos que ajudarão definir a Cadeia de Valor de uma organização.
A cadeia de valor representa o conjunto de atividades desempenhadas por uma organização desde as relações com os fornecedores e ciclos de produção e de venda até à fase da distribuição final, conceito foi introduzido por Michael Porter em 1985. A cadeia de valor não é uma coleção de atividades independentes e sim um sistema de atividades interdependentes, que interagem entre si.

A gestão empresarial envolve Planejamento Estratégico, Implementação de Balanced Scorecard, Modelagem de Processos de Negócios, Arquitetura Organizacional, Gestão do Conhecimento e Aprendizagem Organizacional.

Do planejamento e da Cadeia de Valor derivam-se os Projetos e Processos organizacionais.
Com a cadeia de valor definida é possível elaborar o Mapa de Processos da empresa que será peça chave para implantação da Gestão por Processos. Utilizar a cadeia valor na gestão dos processos é forma de estar alinhado à estratégia da empresa.
Com plano estratégico são identificados os projetos prioritários da organização que podem estar relacionados à inovação, evolução tecnológica, desenvolvimento de novos produtos ou até mesmo projeto para implantação de BPM.
Cada ação de modelagem de processos pode e deve ser tratada como um Projeto.
O Guia (PMBOK) para gestão de projetos, por sua vez, é uma coletânea processos para ajudar o gerente de projetos executar de forma padronizada e em conformidade com as melhores práticas de mercado.

Resumindo...

O Planejamento Estratégico é imprescindível para definir e administrar os objetivos da organização com ele será possível estabelecer uma cultura corporativa integrada, comprometida e focada na expansão dos negócios e na competitividade que vivemos na globalização atual.
As empresas modernas precisam de informações e conhecimentos específicos que efetivamente auxiliem os seus processos decisórios e a gestão empresarial.
Essas necessidades são evidenciadas ainda mais neste cenário globalizado e turbulento, mas também por estarem disputando um mercado extremamente competitivo e agressivo. 

O que o Planejamento Estratégico envolve:

• Definição da ideologia corporativa (Visão, Negócio, Missão, Valores e Princípios); 
• Definição da Cadeia de Valor
• Análise da situação (análise ambiental, SWOT e de portfólio); 
• Formulação de objetivos internos e externos; 
• Formulação das estratégias e seu desdobramento em ações (projetos); 
• Formulação de alternativas estratégicas (análise de clientes e segmentação); 
• Monitoramento: implementação,feedback e controle.

A Gestão de Projetos possui mecanismos que possibilitam controle, visibilidade e rastreamento do projetos em execução, além de gerenciar as mudanças durante a sua implantação.

O que a Gestão de Projetos envolve:

• Definição da equipe de Gestão de Projetos; 
• Definição de metas e processos; 
• Definição da documentação necessária para o projeto; 
• Treinamento e desenvolvimento da equipe; 
• Acompanhamento e implantação de um escritório de projetos;
• Alocação de especialistas/consultores para assessorar os projetos mais críticos;

A Gestão de Processos - BPM implica o estudo dos processos de uma organização de forma sistematizada e com isso pode abrir as suas portas não apenas para a inovação e mudança, mas também para novos modelos organizacionais. A constante reavaliação dos seus processos e controles tornam a organização cada vez mais competitiva.

BPM busca atender às expectativas das empresas que estão em constante mudança e necessitam a todo momento manter alinhados os processos do negócio, aumentando assim a velocidade da adaptação às mudanças e a melhora na gestão dos processos.

O que BPM envolve:

• Alinhamento entre estratégia, processo e pessoas; 
• Definição de Metodologia para Modelagem e Gestão dos Processos;
• Mapeamento e descrição dos processos, ações e competências envolvidas; 
• Definição da prioridade dos processos;
• Análise do ponto de vista organizacional e sua cadeia de atividades; 
• Desenvolvimento e controle de indicadores de desempenho; 
• Avaliação e implantação de mudanças de cultura, de paradigma; 
• Redesenho dos processos.

Aguardo o comentário dos leitores sobre este aspecto.

Abraços,
Mônica

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Escritório de Gestão

Esta semana tentarei elaborar um Post sobre o conceito de Escritório de Gestão.
O tema não engloba apenas Escritório de Projetos ou de Processos.
O Escritório de Gestão envolve Planejamento, Projetos e Processos. Um tripé para Governança Corporativa e de TI.

Aguardem!
Boa Semana a todos,
Mônica

terça-feira, 21 de junho de 2011

Visão Integrada entre BPM, SOA, ITIL e COBIT

Neste POST vou passar minha visão sobre a ligação entre Processos, Serviços, SOA, ITIL e COBIT


Tópicos a Abordar
Conceitos: 
   · BPM, Processos e Serviços;
   · SOA, ITIL e COBIT; 
Relação entre: 
   · BPM e ITIL;
   · BPM e COBIT;
   · BPM e SOA;
   · SOA e ITIL;


BPM - Gerenciamento de Processos de Negócio


O que é na verdade a sigla BPM? Existem várias definições, especialmente se procurarmos na internet.
Não é algo novo, pelo contrário, nos anos 80, a Gestão pela Qualidade Total foi uma das prioridades das empresas em todo o mundo e na década de 90, Michael Hammer e James Champy lançaram o artigo "Don’t automate, obliterate" pela Harvard Business Review. 
Esse artigo foi o marco da chamada onda de Reengenharia de Processos.

E em 2002, Howard Smith e Peter Fingar lançaram o livro "Business Process Management: The Third Wave" com os conceitos de Gerenciamento de Processos de Negócios. 
Desde então BPM vem se tornando assunto muito importante nas empresas. 
Segue definição de BPM presente no CBOK:
A figura abaixo mostra o ciclo BPM e Paralelo ao PDCA, pois gerenciar processos nada mais é do que aplicar o PDCA aos processos.


Serviços 

Alguns conceitos sobre o que são Serviços:
  · Meio de entregar valor aos clientes;
  · Cada Serviço é uma parte do processo que colabora com outra (serviço);
  · Componentes de software que representam um processo, atividade ou tarefa de negócio;
  · “Gerenciamento de Serviços é um conjunto de habilidades da organização para fornecer    valor para o cliente em forma de Serviços”(ITIL V3); 
  · Serviços são reutilizáveis;
  · Serviços compartilham um contrato formal;
  · Serviços possuem baixo acoplamento;
  · Serviços são capazes de se compor;
  · Serviços são autônomos;
  · Serviços evitam alocação de recursos por longos períodos.


SOA 
· É uma abordagem arquitetural corporativa que permite a criação de serviços de negócio interoperáveis que podem facilmente ser reutilizados e compartilhados entre aplicações e empresas. 
· Define Serviços de negócios SEPARADOS e AUTONOMOS que INTEROPERAM para executar PROCESSOS DE NEGÓCIO que precisam ser geridos e melhorados (BPM).


Composição da Arquitetura Orientada a Serviços:


ITIL: Orientação a Serviços 
     · Foca o ciclo de vida do serviço;
     · TIC é vista como um Serviço;
     · Visão integrada TIC, Negócio, Clientes e Fornecedores; 

 Composição ITIL:


 
· Estratégia de Serviços (SS)
· Desenho de Serviços (SD)
· Transição de Serviços (ST)
· Operação de Serviços (SO)
· Melhoria Contínua dos Serviços (CSI)


Processos são o DNA da Gestão de Serviços
Segue imagem retirada do livro Service Strategy do trecho em que relata a importância dos Processos de Negócio.



COBIT 
· Framework de controles para suportar Governança de TI;
· Maturidade dos Processos
. Possui 34 processos distribuídos em 4 domínios;


Domínios do COBIT:


BPM x ITIL 

  • BPM -  Identificar, Modelar e Gerir processos de TI e de Negócio;
  • BPM -  Fonte para identificação dos Serviços de TI e de Negócio;
  • ITIL contém melhores práticas para definir os processos e serviços de TI;
  • Serviços Projetados, Mantidos, Gerenciados e Melhorados pela TI.

SOA x ITIL 
· ITIL pode ser uma estratégia de Governança para alcançar SOA
· Para SOA, ITIL V3 é importante, pois foca em Serviços;
· Para SOA e ITIL os Serviços perpassam a organização, não são baseados em silos ou na estrutura.
· SOA e ITIL buscam qualidade e eficiência dos Processos e Serviços.
· SOA é composta por partes repetíveis, Serviços, que podem ser usadas e reutilizadas por múltiplas aplicações e pelos processos de negócio.


BPM x COBIT
A maturidade de um processo pode ser incrementada com a utilização de BPM.


BPM x SOA
Com a implantação de BPM é possível identificar Serviços e conseguir o tão sonhado alinhamento de TI com o Negócio.

BPM e SOA

  • Buscam orientação na Visão Corporativa e Estratégica;
  • Precisam de ter os processos identificados, modelados e geridos;
  • Serviços são identificados nos processos modelados;
  • Com serviços identificados é possível sua implementação (Componentes e Objetos).

Para implantar SOA, ITIL e COBIT é preciso:


· Governança Corporativa e de TI : estabelecer políticas, processos e métricas.
· Implantar BPM;
· Patrocínio da alta Direção;


Visão Integrada
· A partir da Cadeia de Valor e utilizando BPM é possível identificar os Serviços;
· Com os Serviços identificados é possível criar o Portfólio e o Catálogo de Serviços;
· A disponibilização e orquestração dos Serviços do Catálogo é feita por meio de SOA;
· O gerenciamento do Catálogo de Serviços é possível por meio do ITIL;
Implantar BPM significa:
· Aumento Maturidade dos processos - COBIT
· Maior facilidade na implementação ITIL e COBIT
A imagem abaixo mostra a abstração desta Visão Integrada:


Resultados para TIC
· TIC agregando valor ao Negócio;
· TIC atuando em posição estratégica para manutenção e viabilidade do Negócio, não mais apenas como suporte.
· Aumento da maturidade dos Processos de TIC e da Organização;
· TIC responsável por prover Agilidade e Competitividade ao Negócio;
· Redução de custos;
· SATISFAÇÃO DO CLIENTE!!!


 Fontes:
 SOA: http://www.soaschool.com/;
 BPM CBOK – Business Process Management Common Body of Knowledge;
 ITIL V3: http://www.itil-officialsite.com/;
 COBIT: http://www.isaca.org.br/novoportal;

terça-feira, 14 de junho de 2011

Preparando post...

Esta semana estou em uma força tarefa para modelagem de alguns processos emergenciais, mas estou tentando terminar um post sobre a VISÃO INTEGRADA ENTRE: BPM, SOA, ITIL e COBIT.

Aguardem!!!

terça-feira, 7 de junho de 2011

Plano de Ação de Modelagem de Processos

Bom dia!!
Semana passada fechamos um Plano de Ação para modelagem de alguns processos.
Eu e uma amiga, Alice Guedes Almeida, coordenamos este grupo, mas existem outros grupos trabalhando em paralelo em escopos diferentes.
É incrível como cada ação de modelagem é uma história diferente e gratificante.
São muitos os desafios encontrados, pois como os processos são ponta-a-ponta trabalhamos com pessoas de áreas distintas e visões diferentes.
O maior desafio é proporcionar um ambiente de colaboração, de entrosamento e de união com foco em um único objetivo: Modelar Processos de determinado escopo. 
É incrível como temos a tendência de modelar nosso silo, nosso quadrado, mas quando acontece este equívoco contornamos a situação e voltamos para nosso objetivo ponta-a-ponta.
O mais motivador é quando você vê um colaborador, que antes questionava ou não entendia muito o trabalho, fazendo um discurso pró modelagem. É muito legal.
Atribuo este fato ao nosso trabalho de disseminação do conhecimento antes de começar a modelagem em si.
Aqui ministramos treinamento de Modelagem de Processos à toda equipe que trabalhará na ação de modelagem.
Apresentamos casos de sucesso e tentamos mostrar os pontos positivos para o gestor quando uma modelagem é feita. Vide meu artigo sobre Processos e Modelagem de Processos ( http://ideiasbpm.blogspot.com/2011/06/processos-e-modelagem-de-processos.html ).
O gestor será o maior beneficiando quando modelamos um processo!
Na fase de treinamento e conscientização enfatizamos sempre o modelo de um processo não é apenas o Fluxo!
O Fluxo é uma parte importante do processo, mas existem outros atributos com mesmo grau de importância: dono do processo, descrição de cada atividade, riscos, duração, interfaces, fornecedores...
E antes de começar a modelagem de determinado processo é primordial identificarmos a lista de processos que farão parte do escopo – o Mapa de Processos. Depois priorizamos por onde começaremos e aí, sim, começamos a modelagem processo a processo.
Nada é estático, tudo é muito dinâmico e vivo. O Mapa de Processo pode e vai mudar no decorrer do Projeto de Modelagem.
O projeto acaba só quando modelamos todos os processos identificados no Mapa de Processos.

Abraços e conto mais na próxima!!

sexta-feira, 3 de junho de 2011

COBIT e BPM

Esta semana tive uma reunião em que abordávamos COBIT, diagnóstico de maturidade, governança de TI...
É incrível como BPM está intrinsecamente ligado a estes temas.
O framework Cobit  é composto por 34 processos, logo focado em PROCESSOS!
DEARRRR!!!
J
Parece muito claro, mas muitos não atentam para o detalhe fundamental de se ter os processos identificados e mapeados para utilização de COBIT.

Vejamos níveis de Maturidade COBIT:

0 – Inexistente
1 – Inicial
2 – Repetível
3 – Definido
4 – Gerenciado
5 – Otimizado

A gestão de um processo é fundamental para aumento de sua maturidade.

O artigo presente no link abaixo relata a importância e relação de BPM com COBIT.


Vejam que interessante a figura abaixo:




Neste artigo e nesta imagem o colega conseguiu sintetizar o que penso sobre a interação entre COBIT e BPM.

Ainda bem que não estou sozinha nesta abordagem.
Estou com a alma lavada depois de ter encontrado esta figura!!
Fico feliz, pois vejo que estamos na direção certa!

Até a próxima!

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Processos e Modelagem de Processos

Processos

Conjunto definido de atividades executadas por humanos ou máquinas para alcançar uma ou mais metas (resultados, produtos). 



Processos de Negócio

           Segundo o CBOK, é um "conjunto de atividades interdependentes, ordenadas no tempo e espaço de forma encadeada que ocorrem como resposta a estímulos (eventos) e que possuem início, fim, entradas e saídas bem definidos. Estão ligados diretamente à Cadeia de Valor da empresa. É definido como um trabalho ponta a ponta que entrega valor ao cliente."


Importância da Modelagem

A modelagem de processos é importante em diversos aspectos dentro de uma organização. Com a modelagem é possível identificar, selecionar e mapear os processos. É possível identificar cada atributo do processo (nome, gestor, fluxo atividades, indicadores, riscos...) e documentá-las.
A figura abaixo mostra importância da modelagem de processos em diferentes visões da organização.



 

Gestão do Negócio:


            Os processos modelados são artefatos para gerência, coleta de indicadores, melhoria dos processos, dentre outros benefícios, ajudam na agilidade de resposta às necessidades dos clientes

Gestão de TI:

            Os processos modelados e geridos são fontes de demandas bem estruturadas, pensadas e definidas.
A modelagem de processos ajudam os clientes a pararem para pensar no seu negócio como um todo, ponta a ponta. Isto significa que não está pensando apenas no seu quadrado, mas no contexto como um todo. Pensa em necessidades não embasadas em silos, mas que serão reutilizadas por toda organização.
A modelagem ajuda no alinhamento entre TI e Negócio, pois os processos modelados serão artefatos para o início do ciclo de desenvolvimento de um software, aplicativo ou serviço.
            Os processos de TI modelados e geridos ajudarão na melhoria dos processos de TI e na agilidade em resposta às demandas dos clientes. Ajudarão também na implementação COBIT, ITIL e SOA.

Gestão do Conhecimento:

Os processos modelados ajudam na gestão da informação e do conhecimento. Os processos e atividades saem das cabeças dos colaboradores para o modelo do processo.
Os processos modelados e atribuições de papéis para desempenhá-los ajudam no mapeamento de competências. Se para executar determinado processo são necessárias habilidades e conhecimentos específicos o gestor poderá utilizar recurso humano que possui tais competências ou poderá formar seus colaboradores para adquiri-las. Pode traças um plano de educação e o gerenciamento de competências de sua empresa.

Estrutura Organizacional:

Os processos modelados ajudam na melhor otimização das estruturas organizacionais, pois as organizações atuais buscam o constante aperfeiçoamento de suas estruturas, a fim de maximizar sua eficiência.


Por enquanto é só pessoal!!